O cenário do SEO está sempre mudando. E para quem está em busca do topo no principal motor de busca, isso significa que você também tem que se adaptar. Portanto, é extremamente importante ficar a par de qualquer matéria relacionada ao SEO. Além do mais, com a pesquisa orgânica sendo o principal motivo do trafego de muitos sites, e ranking no Google, é importante manter controle com todas essas mudanças.
Neste artigo, vamos revelar quatro coisas do Google e SEO que você precisa saber sobre. Vamos explicar as mudanças que estão ocorrendo e como você pode responder de forma eficaz. Vamos começar!

1. HTTPS Se Tornou um Importante Fator no Ranking

O HTTPS é a versão segura do HTTP, um protocolo de aplicação que envia dados do seu navegador para o site ao qual está conectado. “Seguro” neste aspecto significa que os dados enviados são criptografados . As páginas HTTPS aparecem com um símbolo de cadeado na barra de endereços.

O PayPal é um usuário proeminente do HTTPS.

Segurança é uma grande preocupação entre usuários e motores de busca, e as conexões HTTPS são incentivadas. Em 2014, tornou-se um dos principais motivos para a classificação nos motores de busca.

Embora agora seja ainda mais proeminente, um estudo de 2016 descobriu que a grande maioria dos websites não tinha adotado o HTTPS. Além disso, para muitos que tinham, não estava funcionando corretamente. Apesar disso, o Google continua empurrando os sites que tem HTTPS. A adoção do HTTPS só continuará a crescer em um futuro não muito distante.

Além de melhorar seus rankings de busca, há outro benefício de fazer a mudança para HTTPS. Ele também fornece segurança adcional ao site, o que é particularmente importante para você e seus visitantes se você utiliza de informações pessoais e aceita pagamentos.

Para aqueles que procuram ficar a bordo, a adoção de HTTPS pode ser de uso intensivo de recursos, especialmente para sites maiores. No entanto, com o sucesso de projetos como Let’s Encrypt, proteger seu site está se tornando mais fácil. Além disso, o Google não é a única empresa a incentivar a mudança. O WordPress está fazendo suas próprias tentativas para forçar a adoção do HTTPS.

Finalmente, dependendo do tipo e do tamanho do seu site (e dos recursos necessários), você pode decidir agir agora ou esperar pra ver. No entanto, dado o grande impulso que o HTTPS já recebeu, você deve ir atrás de fazer a mudança mais cedo ou mais tarde.

2. Anúncios Invasivos em Dispositivos Móveis Estão Sendo Punidos

Simplificando, anúncios invasivos também são conhecidos como “pop-ups” – páginas de anúncios ou sobreposições que são exibidas antes ou depois da página de conteúdo esperada. Usá-los na versão desktop do seu site, de forma moderada, não é problema. O problema é quando isso ultrapassa os limites.

No entanto, embora tenham seus benefícios, pop-ups muitas vezes cobrem completamente telas móveis, o que afeta a experiência do usuário. Para combater isso, o Google anunciou em agosto de 2016 que no Janeiro que estava por vir, as páginas mostrando anúncios invasivos em dispositivos móveis podem não classificar no ranking tão alto.

O Google quer ter certeza de que o conteúdo principal da página é de fácil acesso aos usuários. Não é o caso quando a tela está sendo obstruída por um anúncio gigante. No entanto, alguns pop-ups estão isentos deste regulamento. Por exemplo, notificações de cookie e confirmações de idade representam uma resposta a obrigações ou reocmendações legais e, poranto, estão isentas das diretrizes. ALém disso, os banners que não obstruem o conteúdo principal são considerados aceitáveis e não sujeitos a penalidades.

A melhor coisa que você pode fazer para garantir que você evite problemas seria remover seus pop-ups de dispositivos móveis. Dependendo da ferramenta que você estiver usando, você terá a opção de desativar pop-ups para dispositivos móveis com alguns cliques simples.

3. Ter Um Site Responsivo É Mais Importante do Que Nunca

Dispositivos móveis estão predominando, agora mais do que nunca, e os usuários estão usando os celulares para realizar cada vez mais tarefas – incluindo pesquisas na web. Em 2015, o Google adcionou a simpatia móvel como um sinal de classificação. E no futuro, isso tende a fazer ainda mais diferença.

Antes desse ano, o Google usava uma indicação que o site era amigável aos celulares:

No entanto, como mais de 85% de todas as páginas nos resultados de pesquisa agora atendem aos critérios, ele removeu recentemente o rótulo.

Além disso, o marketing móvel continua a crescer, com mais de metade das pesquisas provenientes de dispositivos móveis. Deixa claro saber o porque de ter um site responsivo agora ser mais importante do que nunca. A alta taxa de usuários que só acessam a internet por dispositivos móveis também fornece um argumento ainda mais convincente para garantir que suas páginas sejam responsivas.

Se você não tiver certeza se o seu site é compatível com dispositivos móveis, o Google oferece um teste on-line rápido e simples. Se você ainda está na fase de design e procura criar um site compatível com dispositivos móveis, não se esqueça de escolher um tema de resposta, como Divi. De fato, muitos temas – tanto gratuitos quanto premium – são agora responsivos, portanto encontrar um adequado não deve ser problema.

Finalmente, se você ainda tiver problemas para tornar seu site responsivo compatível com dispositivos móveis, a documentação específica do Google para WordPress deve ser a última palavra sobre como implementar o padrão.

4. Accelerated Mobile Pages (AMP) Estão Recebendo Um Impulso

O Accelerated Mobile Pages (AMP) é uma iniciativa de código aberto que incentiva os editores a projetar conteúdo otimizado para dispositivos móveis que carrega rapidamente em qualquer lugar. Atualmente, o Google usa um símbolo de “raio” para denotar páginas compatíveis:

O símbolo de AMP costumava ser limitado dentro de resultados de pesquisa móveis, mas também começou a mostrar mais recentemente em resultados orgânicos:

Apesar de ser amigável para celular é um fator de classificação, AMP atualmente não é – mas é provável que seja no futuro. Na verdade, a iniciativa AMP tem crescido tal tração que o Google anunciou recentemente a inauguração de uma conferência sobre AMP, que terá lugar em março de 2017.

Embora isso não ajude a sua classificação ainda, o símbolo AMP deve aumentar sua taxa de cliques nos resultados de pesquisa para celular. Ele também oferece uma experiência melhor para seus usuários móveis e aumenta a exibição de páginas e anúncios. É definitivamente algo que muitos proprietários de websites devem considerar, mas pode não ser adequado para alguns sites.

Com o AMP, você está basicamente removendo suas páginas existentes, o que é bom se quiser que seu conteúdo seja lido, mas não apropriado para sites mais interativos. Você perderá certos elementos de design e será limitado em termos do que você pode exibir – incluindo alguns anúncios.

Para começar com AMP, há inumeros plugins disponíveis para ajudá-lo. Apesar do Automattic criar uma boa dinâmica com seu plugin AMP, existem melhores opções disponíveis, como AMP para WP e Glue para Yoast SEO & AMP. Ambos permitem que você adicione páginas compatíveis com AMP, bem como posts, e controlam como seu conteúdo é exibido.

Conclusão

Mesmo se a pesquisa orgânica não for a sua principal fonte de tráfego, o ranking mais alto nas páginas de resultados de pesquisas vale a pena. O Google, é claro, representa a grande maioria do tráfego de pesquisa orgânica. Manter-se atualizado com (e reagir a) qualquer notícia pertinente SEO não só irá melhorar o seu ranking, mas também ajudá-lo a criar uma melhor experiência geral para o usuário.

Neste artigo, cobrimos quatro coisas importantes que estão acontecendo com o Google e SEO, para ajudá-lo a planejar e executar sua estratégia de SEO em 2017 de forma eficaz. Vamos recapitalizá-los rapidamente:

  1. HTTPS se tornou um fator de classificação mais forte.
  2. Anúncios invasivos em dispositivos móveis serão punidos.
  3. Ter um site responsivo é mais importante do que nunca.
  4. AMPs estão recebendo um empurrão.

 

 

Você tem alguma outra notícia importante do Google ou SEO para compartilhar? Deixe-nos saber na seção de comentários abaixo e não se esqueça de se inscrever para que você possa acompanhar a conversa!

 

Texto por: John Hughes ( Elegant Themes )

Tradução: Luiz Neto